doença celíaca

DOENÇA CELÍACA: CONHEÇA MAIS SOBRE

A doença celíaca é uma reação exagerada do sistema imunológico ao glúten, proteína encontrada em cereais como o trigo, o centeio, a cevada e o malte. De origem genética, pode causar diarreia, anemia, perda de peso, osteoporose, câncer e até déficit de crescimento em crianças.

O corpo de quem tem o problema não possui uma enzima responsável por quebrar o glúten. Como a proteína não é processada direito, o sistema imune reage ao acúmulo e ataca a mucosa do intestino delgado. Isso causa lesões e prejudica o funcionamento do órgão.

A doença celíaca costuma dar os primeiros sinais entre o primeiro e o terceiro ano de vida, período em que muitos dos cereais são introduzidos na dieta das crianças. Mas há casos em que o diagnóstico só acontece na vida adulta, quando o indivíduo já apresenta carências nutricionais graves, pela falta de sintomas específicos.

 

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico da DC tem por base as manifestações clínicas, os exames laboratoriais, o emprego de marcadores sorológicos altamente sensíveis e específicos, particularmente nas populações de alto-risco, e os aspectos histológicos das biópsias do intestino delgado.

 

SINTOMAS

  • Falta de apetite
  • Prisão de ventre
  • Emagrecimento
  • Atraso no crescimento;
  • Humor alterado: irritabilidade ou desânimo;
  • Dor abdominal;
  • Aftas de repetição;
  • Vômitos;
  • Anemia
  • Diarreia

 

TRATAMENTO

Para um tratamento eficaz da DC é necessário um trabalho de equipa do Médico, do Nutricionista, da Família e da Comunidade, pois o cumprimento da dieta isenta de glúten e a aceitação das mudanças de estilo de vida não é um processo simples e pode levar a um decréscimo da qualidade de vida. Deve haver aconselhamento e apoio ao doente, bem como uma sensibilização para a doença por parte da sociedade.

 

Informações, receitas, dicas, curiosidades e principalmente mais de 800 produtos da linha de saúde, sem lactose, sem glúten, diet, light, veganos, integrais, de soja, low carbo, entre outros, você encontra em nosso site www.feliz100lactose.com.br.

Acompanha e curta nossas páginas:

Seja Feliz!

Feliz100lactose!

O que é Intolerância à Lactose

O QUE É INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

O QUE É INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Os produtos lácteos são fundamentais para a nossa nutrição, para a composição dos nossos ossos, unhas, dentes, cabelos e músculos. Fornecem várias vitaminas, como a D, A e B.
Quem nunca se deliciou ou sonhou com um bom chocolate quente? Ou quem nunca se sentou em um café para tomar um Capuccino? Infelizmente, atualmente, para muita gente isso não é tão fácil.

A intolerância à lactose ocorre por uma impossibilidade em digerir a lactose, que é o açúcar do leite e dos seus derivados. Se tivermos a deficiência ou a ausência de uma enzima no intestino delgado chamada de lactase, não conseguimos digerir a lactose em glicose e galactose. Assim, o acúmulo deste açúcar no intestino vai sofrer a ação de bactérias, fermentando e produzindo gases.  

    As causas mais frequentes são:

  • Deficiência congênita da enzima: a criança nasce com um defeito genético que impossibilita a produção da lactase. É bastante raro e se manifesta ao nascimento. Pode ocorrer diarreia quando o recém-nascido é alimentado com leite ou seus derivados.
  • Diminuição na produção da lactase em consequência de doenças intestinais: qualquer fator que resulte em lesão da mucosa e redução da atividade enzimática pode induzir sintomas de intolerância à lactose, como ocorre frequentemente nos episódios de diarreia aguda prolongada, causada por vírus e bactérias que destroem as células que absorvem nutrientes no intestino. Pode ocorrer também na doença celíaca e doença de Crohn.
  • Deficiência primária: ocorre diminuição da produção da lactase com o avançar da idade. Este processo é determinado geneticamente. Embora seja mais conhecido em adultos, pode ter início a partir de 2 a 3 anos de idade.  É mais evidente em algumas raças como a negra (até 80% dos adultos têm deficiência), asiáticos e indígenas, sendo menos comum em outras, como a branca (20% dos adultos).
  • Deficiência relativa de lactase do prematuro: ocorre nos prematuros com menos de 34 semanas de gestação e se normaliza praticamente com 38 semanas.  

 

Os principais sintomas são:

  1. Diarreia
  2. Dor abdominal em cólicas logo após a ingestão de produtos lácteos
  3. Náuseas
  4. Desconforto abdominal, sensação de inchaço na barriga
  5. Produção excessiva de gases intestinais  

O diagnóstico se faz por uma boa história clínica e por alguns testes laboratoriais, sendo principal o teste de tolerância à lactose, que se baseia na verificação da absorção de lactose intestinal.
Para se evitar os sintomas, recomenda-se ou a ingestão de produtos lácteos sem lactose ou o uso da enzima lactase para a digestão destes alimentos. Assim, a vida fica mais agradável…

 

Dra Lilian Kanda Morimitsu

CRM 84748

Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Mestre em Endocrinologia pela Escola Paulista de Medicina – UNIFESP

Site: www.liliankanda.com.br

 

Informações, receitas, dicas, curiosidades e principalmente mais de 800 produtos da linha de saúde, sem lactose, sem glúten, diet, light, veganos, integrais, de soja, low carbo, entre outros, você encontra em nosso site www.feliz100lactose.com.br.

Acompanha e curta nossas páginas:

Seja Feliz!

Feliz100lactose!

Alimentação Saudável

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: O QUE É?

A alimentação saudável é um tema que está na moda ou, como muitos classificam “modinha”, “frescura”, entre tantas outras definições… Além disso, muita gente “torce o nariz” quando se comenta sobre mudança de hábitos alimentares, seja por preguiça, desconhecimento ou mero desinteresse. No entanto, este assunto não é e não deveria ser tratado como uma simples “modinha”, afinal, tudo que é “modinha” sugere algo passageiro, sem tanta importância. Neste caso é bem diferente, pois uma mudança de hábitos alimentares pode, definitivamente, transformar a vida de muitas pessoas, quer seja para quem procura sua satisfação na estética ou por uma necessidade em relação à saúde.

Em relação à estética, a busca do corpo perfeito, por exemplo, exige um percentual altíssimo de regramento na alimentação e no condicionamento físico. Trata-se aí de uma opção de vida, evidenciando a importância dos hábitos alimentares que, evidentemente estará em sinergia com a boa saúde. Desta forma, a mudança de hábitos alimentares na vida de uma pessoa, mesmo sendo opcional, normalmente alcançará resultados significativos.

Quando a estética perde a vez para a saúde e a necessidade de adequação alimentar é vital, qualquer outro objetivo fica em segundo plano. Basta imaginar uma criança, um adolescente, um adulto ou um idoso, que seja alérgico à proteína do leite de vaca (APLV) e seus derivados, desejando comer um simples bombom ou tomar um chocolate quente, tenha que se privar de tais desejos tão comuns. Em muitos casos a alergia é tão aguda que a pessoa não pode sequer sentir o cheiro destes produtos.

A privação de ingestão de alimentos assola também os intolerantes à lactose. Neste caso, a deficiência ou ausência da lactase, que é uma enzima localizada no intestino delgado, impede a digestão da lactose, que é o açúcar do leite. Assim, a ação de bactérias sobre à lactose no intestino ocasionará fermentação e a produção de gases.

Não só o leite de vaca pode ser um vilão, mas também o glúten. Há uma doença que causa uma grave inflamação no intestino, ocasionando a má absorção de nutrientes, levando à desnutrição. É a chamada Doença Celíaca, que é uma intolerância radical ao glúten.

São muitas as manifestações alérgicas e intolerâncias, que, com o devido diagnóstico médico, poderão ser acompanhadas e até controladas.

Antigamente era muito difícil encontrar produtos que pudessem substituir alimentos comuns, como bolachas, leites, farinhas etc., além de a maioria não ser palatável, mas hoje, muitas empresas investiram na elaboração de produtos sem lactose, sem glúten, dietlight, veganos, integrais, de soja, low carbo, entre outros, onde a substituição alimentar é perfeitamente possível, tanto para os alérgicos, intolerantes e para aqueles que apenas optam por uma alimentação mais saudável. Além da variedade de produtos existentes atualmente, o sabor também evoluiu, sendo, por muitas vezes, parecidíssimo com o produto a ser substituído, ou até melhor.

Informações, receitas, dicas, curiosidades e principalmente mais de 800 produtos da linha de saúde, sem lactose, sem glúten, dietlight, veganos, integrais, de soja, low carbo, entre outros, você encontra em nosso site www.feliz100lactose.com.br.

Acompanhe e curta nossas páginas no Instagram e no Facebook.

Seja feliz!

Feliz100Lactose

MATÉRIA DE TELEVISÃO – INTOLERÂNCIA À LACTOSE

Você quer conhecer mais sobre a Intolerância a Lactose?

 

Confira agora mesmo a Matéria exibida na TV Sorocaba/SBT, exibida no dia 13/04/2017, com a participação especial do Feliz100lactose!

 

ALIMENTOS FUNCIONAIS: CONHEÇA O QUE SÃO E PARA QUE SERVEM!

Você sabe exatamente o que são alimentos funcionais e para que eles servem?

Alimentos funcionais são alimentos ou ingredientes que oferecem benefícios à saúde, além de suas funções nutricionais básicas. Eles podem, por exemplo, reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes, entre outras.

Outra dica para quem quer se beneficiar dos alimentos funcionais é substituir parte do consumo de carne bovina, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados proteicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3.

Além disso, é preciso ter em mente um detalhe fundamental para o funcionamento eficaz dos alimentos funcionais: eles só funcionam quando combinados com uma dieta equilibrada e balanceada. Não adianta utilizar um alimento para controlar o colesterol, por exemplo, se ela não for combinada com uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

 

Conheça os principais compostos funcionais investigados pela ciência, para que servem e em quais alimentos são encontrados:

 

ISOFLAVONAS

Para que servem: Ação estrogênica (reduz sintomas da menopausa) e anti-câncer;

Onde encontrar: Soja e derivados.

 

PROTEÍNAS DE SOJA

Para que servem: Redução dos níveis de colesterol;

Onde encontrar: Soja e derivados.

 

ÁCIDOS GRAXOS ÔMEGA 3

Para que servem: Redução do LDL – colesterol; ação antiinflamatória; indispensável para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém nascidos;

Onde encontrar: Peixes marinhos como sardinha, salmão, atum, anchova, arenque, etc.

 

ÁCIDO A – LINOLÊNICO

Para que servem: Estimula o sistema imunológico e tem ação antiinflamatória;

Onde encontrar: Óleos de linhaça, colza, soja; nozes e amêndoas.

 

CATEQUINAS

Para que servem: Reduzem a incidência de certos tipos de câncer, reduzem o colesterol e estimulam o sistema imunológico;

Onde encontrar: Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto.

 

LICOPENO

Para que servem: Antioxidante, reduzem níveis de colesterol e o risco de certos tipos de câncer, como de próstata;

Onde encontrar: Tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho, melancia.

 

LUTEÍNA E ZEAXANTINA

Para que servem: São Antioxidantes; protegem contra degeneração macular;

Onde encontrar: Folhas verdes (luteína). Pequi e milho (zeaxantina).

 

INDÓIS E ISOTIOCIANATOS

Para que servem: Indutores de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama;

Onde encontrar: Couve flor, repolho, brócolis, couve de bruxelas, rabanete, mostarda.

 

FLAVONÓIDES

Para que servem: Atividade anti-câncer, vasodilatadora, antiinflamatória e antioxidante;

Onde encontrar: Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja.

 

Entre outros!

CALORIAS? Saiba quantas calorias as principais frutas possuem!

As Frutas não podem faltar em uma dieta saudável, principalmente pela quantidade de benefícios que as mesmas trazem. Muitas Frutas são excelentes fontes de uma grande variedade de nutrientes, mas as verdes escuras tendem a ser mais rica em nutrientes. A seguir, uma descrição sobre a fruta, porção e sua respectiva caloria.

 

  1. MANGA: 2 fatias – 64kcal
  2. MAMÃO (papaya): ½ unidade – 80kcal
  3. MELÂNCIA: 1 fatia – 31kcal
  4. PERA: 1 unidade – 63kcal
  5. MARACUJÁ: 1 unidade – 90kcal
  6. MAÇA: 1 unidade – 58kcal
  7. ACEROLA: 15 unidades – 32kcal
  8. MORANGO: 10 unidades – 39kcal
  9. COCO: 25gr – 67kcal
  10. UVA: 8 unidades – 70kcal
  11. LIMÃO: 100ml – 39kcal

 

Agora já sabe, né? Incluir cada vez mais frutas em sua dieta – e alimentação diária.

CELULAR vs ACADEMIA: CUIDADO!

Não dá para negar que os aparelhos celulares ocupam um lugar importante em nossas vidas – seja na hora de resolver um problema de trabalho depois que você já saiu do escritório seja para relaxar enquanto checa as redes sociais e conversa com os amigos. Acontece que nem sempre mantê-lo por perto ajuda – aliás, quando se trata de fazer exercícios, ele pode até atrapalhar.

Um estudo publicado no periódico Performance Enhancement & Health descobriu que mandar mensagens de texto e falar ao telefone durante a atividade física compromete o equilíbrio e a estabilidade em até 45%, favorecendo lesões e quedas durante os treinos.

Uma outra pesquisa divulgada no periódico Computers in Human Behavior também mostrou que o envio de SMS no meio do exercício reduz a intensidade com que a pessoa realiza a atividade durante em pelo menos 50% do tempo em que ela está se exercitando.

Então já sabe: nada de ficar conversando com a lista inteira do WhatsApp enquanto malha. Em vez disso, coloque uma playlist animada e esqueça a tela do celular por um tempo – pelo menos até sair da academia.

COXINHA DE FRANGO SEM GLÚTEN!

Sabe aquela vontade de comer uma MARAVILHOSA Coxinha de Frango? Ainda têm? Receio pelo Glúten, né? Confira essa MEGA receita de Coxinha SEM Glúten e ACABE hoje mesmo com essa vontade!

 

RECHEIO

  1. 400g frango (peito, coxa e sobrecoxa)
  2. 2 litros de água para cozinhar
  3. 1 dente de alho socado para cozinhar o frango
  4. Sal a gosto
  5. Óleo e azeite a gosto (para refogar)
  6. 1 cebola picada
  7. 1 tomate sem pele e sem sementes
  8. 1 tablete ou saquinho de tempero pronto
  9. 1 colher (sopa) de salsa picada

 

MASSA

  1. 1 litro do caldo de frango
  2. 1 colher (sopa) cheia de margarina ou gordura vegetal
  3. Sal e alho amassado a gosto
  4. 1 colher (sopa) de salsa picada
  5. 1/2 kg de batatas cozidas e amassadas
  6. 450g de creme de arroz
  7. 1 tablete ou saquinho de tempero pronto
  8. Fubá o suficiente para empanar

 

MODO DE PREPARO

  1. RECHEIO: Cozinhe o frango, sem a pele na água com o alho e o sal. Deixe esfriar e desfie no processador usando a tecla pulsar. Reserve 1 litro do caldo de frango para a massa. Numa panela com o óleo e o azeite, refogue a cebola, os tomates, o alho amassado com o sal e o tempero pronto. Desligue o fogo, coloque a salsa picada e mexa.
  2. MASSA: Numa panela, coloque o caldo de frango reservado, a margarina (ou gordura vegetal), o tempero pronto, o alho com sal, a salsa, as batatas amassadas e deixe ferver. Acrescente o creme de arroz aos poucos, mexendo sempre até desgrudar da panela. Coloque numa vasilha deixe esfriar um pouco. Sove a massa.
  3. PREPARO DAS COXINHAS: Abra a massa na palma da mão fazendo um circulo. Coloque um pouco do recheio no centro da massa, feche e modele na forma de coxinha. Depois de prontas, molhe levemente as coxinhas na água, passe pelo fubá e frite em óleo bem quente, até que o fubá fique levemente amarelo.

 

É de dar água na boca ou não é? A Receita foi fornecida pelo Gshow!

APLV: VIVENDO E SOBREVIVENDO!

Você sabe o que é Alergia a Proteína do Leite de Vaca?

Ela está presente em quase tudo que faz parte do nosso universo: lanches, comida, remédios, sabonetes, lenços umedecidos, bexigas de festa, massinhas de modelar, etc.

A alergia alimentar é uma sensibilidade individual a uma ou mais proteínas que compõem determinados alimentos. Essas proteínas quando absorvidas pela mucosa intestinal desencadeiam, em indivíduos alérgicos, reações imunomediadas, ou seja, dependentes de mecanismos imunológicos. A alergia à proteína do leite de vaca, muito conhecida pela sigla APLV e é a alergia alimentar mais comum da faixa etária pediátrica, com prevalência de até 6% em crianças menores de 3 anos de idade.

As manifestações clínicas incluem acometimento cutâneo, gastrintestinal, respiratório e, mais raramente, as manifestações cardiovasculares, incluindo choque anafilático.

A proteína do leite de vaca é o alérgeno alimentar mais comum por ser muito consumido, mas também pelo seu potencial alergênico. Ele chega a possuir mais de vinte tipos de frações proteicas, mas apenas algumas têm importância alergênica

TRATAMENTO

O tratamento da APLV consiste na realização da dieta de exclusão por no mínimo 6 meses. O sucesso do tratamento das alergias alimentares depende do adequado seguimento da dieta. Quase sempre a APLV tem cura! Grande parte dos pacientes desenvolve tolerância ao alimento após 2 anos de idade. Para verificar se houve este desenvolvimento de tolerância, novos TPOs deverão ser realizados a cada 6 a 12 meses. Portanto, seja paciente, apesar da dieta de exclusão ser muito difícil, ela poderá garantir a cura da doença e uma vida futura sem restrições alimentares.

LEITE DE VACA: 10 SUBSTITUTOS!

O Leite de Vaca, diferentemente do Materno, não é altamente recomendável, principalmente pelos seus componentes. Há sérios estudos que relatam, entre outras coisas, problemas provindos do consumo excessivo do Leite.

Mas… O que fazer então? A Lista a seguir contém 10 alimentos que podem ser um fácil substituto do leite.

  1. Leite de inhame – é o mais barato entre os leites vegetais, para fazer em casa é muito simples, basta ferver um inhame médio durante dois minutos,  jogar a água fora e bater no liquidificador com 100ml de água filtrada. Ele pode ser usado em diversas preparações.
  2. Leite de arroz – é o mais encontrado nos supermercados e nas lojas especializadas e substitui bem o leite em sua forma pura, por exemplo, para ser tomado no café da manhã com cacau ou café.
  3. Leite de aveia –Pode ser consumido com café, cacau, batido com frutas ou em preparações.
  4. Leite de oleaginosas – são encontrados em lojas especializadas, mas também podem ser feitos facilmente em casa.
  5. Leite de quinoa –  pode ser encontrado em pó, pronto para consumo, ou pode ser feito em casa. duas colheres de sopa do grão, 200ml de água
  6. Leite de amaranto – tem as mesmas características nutricionais da quinoa e também pode ser facilmente feito em casa.
  7. Leite de coco – é o mais fácil de ser encontrado e substitui muito bem o leite.
  8. Chás e sucos de frutas – podem ocupar o lugar do leite nos lanches e cafés da manhã.
  9. Água – pode ser usada em várias receitas que levariam leite.
  10. Fórmulas infantis hidrolisadas – são indicadas para crianças com menos de 2 anos, quando não for possível amamentá-las, mas é importante consultar um especialista para saber qual delas é a mais indicada para o seu filho, pois existem vários tipos no mercado, com diferentes graus de hidrolisação, ou seja, de quebra das proteínas que não conseguimos digerir.