APLV: VIVENDO E SOBREVIVENDO!

Você sabe o que é Alergia a Proteína do Leite de Vaca?

Ela está presente em quase tudo que faz parte do nosso universo: lanches, comida, remédios, sabonetes, lenços umedecidos, bexigas de festa, massinhas de modelar, etc.

A alergia alimentar é uma sensibilidade individual a uma ou mais proteínas que compõem determinados alimentos. Essas proteínas quando absorvidas pela mucosa intestinal desencadeiam, em indivíduos alérgicos, reações imunomediadas, ou seja, dependentes de mecanismos imunológicos. A alergia à proteína do leite de vaca, muito conhecida pela sigla APLV e é a alergia alimentar mais comum da faixa etária pediátrica, com prevalência de até 6% em crianças menores de 3 anos de idade.

As manifestações clínicas incluem acometimento cutâneo, gastrintestinal, respiratório e, mais raramente, as manifestações cardiovasculares, incluindo choque anafilático.

A proteína do leite de vaca é o alérgeno alimentar mais comum por ser muito consumido, mas também pelo seu potencial alergênico. Ele chega a possuir mais de vinte tipos de frações proteicas, mas apenas algumas têm importância alergênica

TRATAMENTO

O tratamento da APLV consiste na realização da dieta de exclusão por no mínimo 6 meses. O sucesso do tratamento das alergias alimentares depende do adequado seguimento da dieta. Quase sempre a APLV tem cura! Grande parte dos pacientes desenvolve tolerância ao alimento após 2 anos de idade. Para verificar se houve este desenvolvimento de tolerância, novos TPOs deverão ser realizados a cada 6 a 12 meses. Portanto, seja paciente, apesar da dieta de exclusão ser muito difícil, ela poderá garantir a cura da doença e uma vida futura sem restrições alimentares.

Deixe uma resposta